PL votado nesta terça-feira (10) foi proposto pela então senadora Roseana Sarney (PFL-MA) em 2004

Texto / Simone Freire | Imagem / Pedro França / Agência Senado

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (10) o Dia do Branco, Dia do Índio e Dia do Negro.

O Projeto de Lei 6369/05, que institui datas para celebrar os três segmentos étnicos nacionais foi proposto pela então senadora Roseana Sarney (PFL-MA) em 2004.

A proposta define 19 de abril (Dia do Índio) para celebrar os povos indígenas; 22 de abril (Descobrimento do Brasil) para lembrar a chegada oficial do branco europeu em território nacional; e 20 de novembro (Dia Nacional da Consciência Negra), em homenagem ao negro e em memória de Zumbi dos Palmares.

Talíria Petrone, deputada que representa do PSOL na CCJ, não estava presente na votação, mas cosiderou a aprovação do Dia do Branco "absurda".

"O dia 22 de abril marca o início da invasão dos europeus no nosso continente e o começo de uma história de apagamento, escravidão e roubo. Em um país, cujas marcas coloniais ainda persistem hoje - 70% dos homicídios são contra pessoas negras e apenas nesta semana três indígenas Guajajara foram brutalmente assassinados - não podemos vangloriar o colonizador", disse, em entrevista ao Alma Preta.

O projeto segue agora para análise do Plenário da Casa.

bannerhorizontal

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com

Mais Lidos