fbpx

De acordo com a coordenadora geral, área plantada com árvores frutíferas reduziu de 40% para 3% por conta das chamas. O objetivo é replantar toda extensão da propriedade

Texto / Thalyta Martins
Imagem / Acervo Casa de Cultura Fazenda Roseira

A Casa de Cultura Fazenda Roseira, localizada no Residencial Parque da Fazenda, em Campinas, interior de SP, foi atingida por um incêndio no começo da tarde de terça-feira (26). As pessoas que estavam no local não sabem dizer como o fogo começou. De acordo com a coordenadora geral da Casa de Cultura, Bianca Lúcia Martins Lopes, um dos organizadores foi molhar as plantas e encontrou o fogo. Logo eles chamaram os Bombeiros, mas o fogo se alastrou muito rápido e atingiu as árvores.

“A gente jogou água com baldes nas raízes das árvores até os bombeiros chegarem. Eles combateram o fogo do fundo para o começo, mas ainda assim ficaram alguns focos de incêndio. Por pouco não atingiu o nosso centro de referência na parte de baixo. Foi assustador, desesperador. Estávamos em quatro. A fumaça estava imensa e a gente não conseguia enxergar o limite. ”

O fogo atingiu boa parte da plantação da unidade, que foi iniciada há sete anos e concentrava árvores frutíferas e legumes.

“A parte mais atingida foi a nossa agricultura quilombola, onde estávamos com um processo de sete anos de cultivo, de cuidado, de execução de projetos e demandas para aquela área. Cientificamente falando, a gente estava fazendo um processo de agrofloresta. Tínhamos uma diversidade vegetal grandiosa.”

corpojongo2

Fogo atingiu área de árvores frutíferas (Foto: Facebook Casa de Cultura Fazenda Roseira)

O plano era replantar uma área que já estava com 40% da meta alcançada. De acordo com Bianca, hoje isso regrediu para 2%.

“O que sobraram foram as bananeiras, os mamoeiros e um baobá que estava em chamas, mas quando o fogo apagou que a gente foi ver como ficou, ele estava com o caule verdinho. Depois disso, a gente entende que nada acontece por acaso.”

Ações posteriores

Em três dias de incêndio, ninguém se machucou. Segundo Bianca, o acontecido mostra as vulnerabilidades do espaço. Por isso a Casa de Cultura pede doações de cercas para fortalecer a segurança do local.

Ainda segundo ela, as próximas ações vão ser mutirões de plantios, trabalho diário de cuidado com o espaço e com a terra.

“Agora é recomeçar esse trabalho de sete anos. Força de vontade não nos falta. Temos parceiros, a vizinhança está com a gente também. Então, se antes a gente tinha o objetivo de atingir 100%, agora a gente quer atingir 1000%.”, disse.

A Casa de Cultura

A Casa de Cultura Fazenda Roseira está instalada em Campinas foi ocupada pela Comunidade Jongo Dito Ribeiro em 2007 e é um espaço de preservação do patrimônio, da memória e da cultura afro-brasileira. Abriga movimentos sociais e religiosos de matriz africana. Além disso, promove diversas atividades culturais e educativas no município, entre elas o Encontro Juventude de Terreiro da região Metropolitana de Campinas e o Arraial Jongo Dito Ribeiro.

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com