O Fórum Brasileiro de Segurança Pública divulgou nesta quinta-feira (9) o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2018, cujos números apontam recorde de homícidios no Brasil, além do aumento de mortes de mulheres, e mortes causadas por ação policial

Texto / Da Redação
Imagem / Paulo Pinto (AGPT)

Segundo o relatório, o ano de 2017 registrou um total 63.880 homicídios no país, o equivalente a 175 mortos por dia. A taxa de 30,8 mortos de forma violenta e intencional a cada 100 mil habitantes aponta um crescimento de 2,9% em relação ao ano anterior. Este é o 12º ano consecutivo da publicação.

A maior parte dos homicídios apontados pelo documento são do tipo doloso, ou seja, com intenção de matar, totalizando 55.900 no período estudado, sendo as três capitais mais violentas do país no período foram Rio Branco (AC), Fortaleza (CE) e Belém (PA).

O número de encarcerados no país também tem número alarmante. São 729.463 pessoas atrás das grades no país, o dobro da capacidade do sistema prisional brasileiro, que tem 367.217 vagas.

Os números apresentados pelo Fórum não demonstram recorte racial.

Cresce número de estupros e mulheres assassinadas

No caso do gênero, os números apresentam os indicadores de casos de estupro e feminicídio, além dos homicídios comuns.

Segundo o Fórum, foram 60.018 estupros em 2017, um crescimento de 8,4% em relação ao ano anterior. No mesmo período de 2017 foram também 4.538 homicídios de mulheres, um crescimento de 6,1% em relação a 2016.

Os feminicídios, ou seja, homicídios "contra a mulher por razões da condição de sexo feminino", atingiu o número de 1.113 registros. A Lei nº 13.104, que prevê o crime, é recente e foi ratificada em março de 2015.

Já a Lei Maria da Penha registrou 221.238 casos de violência doméstica contra mulheres, ou 606 casos por dia.

Cresce número de mortos por policiais

O número de mortes decorrentes de intervenção policial foi um dos indicadores com maior variação, subindo 20% e totalizando 5.144 mortos. Por outro lado, o número de policiais mortos nesse período caiu 4,9%, totalizando 367 mortos.

Os indicadores apontam que houve ao menos uma morte de policial, civil ou militar, por dia no país. Ao mesmo tempo, foram 14 pessoas mortas por dia em decorrência de intervenção policial, ou seja, mortas por policiais.

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
contato(@)almapreta.com

Mais Lidos