fbpx
 

bannerlimpo

Após anúncio de uma série produzida pela Rede Globo sobre a história de Marielle Franco sem pessoas negras na direção do projeto, diversos profissionais negros se manifestaram através de nota de repúdio. A nota foi enviada ao Alma Preta e reproduzida abaixo.

Texto / Divulgação | Imagem / Reprodução

Nota de repúdio:

Na sexta-feira, 6 de março de 2020, a Rede Globo e a Globoplay anunciaram uma série ficcional baseada na vida de Marielle Franco, cujo assassinato em 2018 continua sem respostas. Acontece que o projeto anunciado é encabeçado por três pessoas brancas. A roteirista Antonia Pellegrino (“Sexo e as Negas”, “Bruna Surfistinhas” e “Tim Maia”), George Moura (“Onde Nascem os Fortes”, “Amores Roubados” e “O Canto da Sereia”) e José Padilha.

É revoltante. No entanto, numa sociedade capitalista, não surpreende que a história de uma mulher negra seja contada a partir do ponto de vista de três pessoas brancas. A única surpresa é o fato de terem demorado tanto para anunciar o projeto, visto a sanha que têm de se apropriar dessa história há tanto tempo.

Mas o desastre fica maior a cada detalhe. O diretor escolhido para comandar a série é o homem que deu e dá ferramentas simbólicas para a construção do fascismo e genocídio da juventude negra no país. É uma violência extrema envolver numa série sobre Marielle o autor de filmes que retrataram de forma heroica a polícia mais violenta do país. Para se ter uma ideia, após “Tropa de Elite”, as inscrições no Bope aumentaram vertiginosamente. O retrato ali inspirou e inspira ações violentas em todo o país. Não à toa, a música tema da tropa no filme apareceu em dezenas de vídeos de apoio ao presidente em exercício. É o filme que mais exaltou o tema “bandido bom é bandido morto”, simplificando a discussão da violência urbana a uma questão de polícia.

Além disso, ficcionalizar em torno de um crime que ainda está sendo investigado também é uma violência e uma naturalização do crime violento e dos 13 tiros disparados contra o carro de Marielle, que vitimaram ela e o motorista Anderson Gomes.

Depois disso, Padilha ainda dirigiu a série “O Mecanismo”, cujas falsificações históricas só fizeram recrudescer o discurso fascista que resultou no governo mais autoritário e violento das últimas décadas no Brasil.

É revoltante mais uma vez ver a branquitude disfarçar de boas intenções a apropriação da imagem de uma mulher negra lésbica, favelada, mãe, filha, irmã e esposa. Para defender sua propriedade de contar a história de Marielle, Antonia Pellegrino usou como argumento: “eu a conhecia muito bem”, “eu ajudei na sua primeira campanha”, “eu segurei o seu caixão”.

Mas a mesma pessoa que diz ter se inspirado em Marielle e diz ter respeito pelo feminismo negro, se lança como arauto para contar essa história aliada aos seus pares, masculinos e brancos. Tudo isso é extremamente violento. É um desrespeito a tudo que Marielle defendia.

Se qualquer uma dessas pessoas tivesse entendido de fato a luta de Marielle, saberia o quão violento é fazer esse projeto encabeçado apenas por pessoas que não refletem sua imagem e semelhança. Existe um valor simbólico e financeiro em contar essa história. Um valor que vai ficar na mão daqueles que sempre dominaram o audiovisual no Brasil.

Ter em algum momento convivido ou lutado ao lado de Marielle não tira o peso da decisão de se apropriar da história dela dessa forma.

Padilha disse em entrevista ao “O Globo” que “se dedicou por muito tempo a histórias de violência urbana do Rio. Essa é uma que precisa ser contada”. A história de Marielle é muito mais do que apenas a violência institucional. Ela é muito mais do que uma vítima da violência urbana que tentam fazer parecer. Seu assassinato é o reflexo da necropolítica que ela denunciava.

A história de Marielle é também a história das tecnologias afetivas, pois Marielle sempre falou sobre afeto, empatia, mulheres lutando juntas, jovens negras movendo estruturas. A branquitude quer se apropriar e narrar essa história sem ao menos entender sobre o que ela é. Tudo isso é desesperador demais.

Às mulheres e homens pretos e lésbicas foi negado o direito de contar essa história. Pois ainda que o racismo estrutural e institucional tente nos paralisar, homens e mulheres negros e negras se tornaram grandes realizadores, comandando produções e recebendo reconhecimento aqui e fora o Brasil. Por isso, é ainda mais perverso saber que essa história só será contata se for produzida por essas pessoas, pois o racismo produziu mecanismo para distanciar pessoas negras do direito de contar a própria história.

Quem trabalha no audiovisual conhece bem as estratégias perversas da branquitude que domina esse meio e entende o código por trás de afirmações “bem intencionadas” sobre transformar a série numa “escola”. Isso significa que as decisões finais serão todas tomadas por brancos e que os profissionais não-brancos da equipe terão no máximo o direito de brigar e adoecer tentando deixar a narrativa menos racista, sendo subjugados pelo tokenismo.

Marielle, em sua última fala pública, contou a respeito da prefeitura do Rio: “primeiro eles saem chutando a porta, depois eles pedem desculpas e por último oferecem um microcrédito, que não repara nada”. Esse é o modus operandi da branquitude. Se apropriar como se tudo a ela pertencesse: nosso corpos, nossa subjetividade, nossa história. É um desastre, é violento e racista.

Assinam a nota:

1 - Adriana Silva, produtora e roteirista.

2 - Ana Beatriz Luta, estudante.

3 - Ana Julia Travia, roteirista e diretora.

4 - Ana Pacheco, roteirista.

5 - Atilon Lima, Audiovisualista e Fotógrafo.

6 - Beatriz Silva Moura, estudante – AIC.

7 - Betânia Dutra , fotógrafa.

8 - Bianca Joy Porte, Atriz e roteirista.

9 - Bruna Fortes, montadora.

10 - Bruno dos Anjos Soeiro de Souza, diretor de fotografia.

11 - Carmen Faustino, educadora, escritora e produtora cultural.

12 - Carol Rodrigues, roteirista e diretora.

13 - Caroline Moreira, empreendedora.

14 - Cecília Carlos Boechat, apresentadora, jornalista, produtora de conteúdo e modelo.

15 - Cibele Amaral, roteirista e diretora.

16 - Claudia Alves, Roteirista e diretora.

17 - Dalila Ferreira, jornalista e Roteirista.

18 - Daniel Ramos, antropólogo.

19 - Daniela Israel, produtora e diretora.

20 - Denise Souza, maquiadora.

21 - Ébano Gama, publicitário.

22 - Eliana Alves Cruz, Escritora e jornalista.

23 - Eric Paiva, roteirista.

24 - Erica Malunguinho, intelectual, artista e deputada estadual do PSOL.

25 - Érica Sarmet , roteirista, diretora e pesquisadora.

26 - Erick Diana Gomes, estudante.

27 - Estevão Ribeiro, Roteirista e escritor, criador da tirinha Rê Tinta.

28 - Éthel Oliveira, cineasta e cineclubista.

29 - Frederico Rosa da Paz, produtor.

30 - Gabriel Nascimento, professor, pesquisador e escritor.

31 - Gabriela Ramos, advogada e pesquisadora.

32 - Gabriella Padilha Scott, realizadora audiovisual.

33 - Gautier Lee, roteirista e diretora.

34 - Jeferson da Silva Brum, produtor e distribuidor.

35 - Jessica Queiroz , Diretora e montadora.

36 - Jonathan Raymundo, produtor do Wakanda in Madureira.

37 - Jorane Castro, roteirista e diretora.

38 - Jorge Washington, ator fundador e membro do Colegiado gestor do Bando de Teatro Olodum.

39 - Julia Tolentino, realizadora audiovisual.

40 - Juliana Balhego, realizadora audiovisual.

41 - Karoline Maia, diretora.

42 - Kelly Adriano de Oliveira, Antropóloga, educadora e gestora cultural.

43 - Laís Werneck Oliveira, Produtora.

44 - Léa Maria Melo Chaib, Artista.

45 - Leonardo Miguel Braga Sampaio, realizadora audiovisual.

46 - Lorena Montenegro, roteirista e crítica de cinema. 

47 - Luciana Damasceno, atriz e roteirista.

48 - Luiz Santana, roteirista.

49 - Luiza Romão , Atriz e slammer.

50 - Maíra Azevedo, Jornalista, humorista e apresentador.

51 - Maíra Oliveira, roteirista e dramaturga.

52 - Maitê Freitas, jornalista.

53 - Manuela da Fonseca Miranda, atriz.

54 - Marcela Lisboa, jornalista e diretora.

55 - Maria Clara Pessoa, roteirista e publicitária.

56 - Maria Clara, roteirista e publicitária.

57 - Mariana Costa, pesquisadora.

58 - Mariana Luiza, roteirista e diretora.

59 - Mariani Ferreira, roteirista.

60 - Marília Nogueira, roteirista e diretor.

61 - Marina Luísa Silva, pesquisadora e roteirista.

62 - Mario Victor Bergo Crosta, Estudante. Unesp.

63 - Maurício Batista Zumerle, Estudante , Academia Internacional do Cinema.

64 - Monique Rocco - Diretora de Produção. 

65 - Myrza Muniz, roteirista.

66 - Nêga Lucas, atriz, diretora, escritora.

67 - Pâmela Hauber , roteirista e produtora executiva.

68 - Paulo Souza, atriz.

69 - Pedro Borges, Jornalista e co-fundador do Alma Preta.

70 - Phelipe Caetano, roteirista.

71 - Rafael Mike, Roteirista, compositor, cantor e diretor musical (Dream Team do Passinho).

72 - Rafaela Camelo, diretora e roteirista.

73 - Renata Martins, roteirista e diretora.

74 - Roberta Rangel , atriz e realizadora.

75 - Rodolfo De Castilhos Franco, diretor e roteirista.

76 - Rogér Cipó, fotógrafo.

77 - Sabrina Fidalgo, roteirista e diretora.

78 - Sílvia Godinho, diretora, roteirista e produtora.

79 - Silvia Nascimento, jornalista Fundadora do Mundo Negro. 

80 - Tabatha Sanches , cantora e Professora.

81 - Tatiana Nequete Machado, roteirista e diretora.

82 - Thaise de Oliveira Machado, diretora de arte.

83 - Thales Ramos, jornalista.

84 - Thamyra Thamara de Araújo, jornalista e roteirista.

85 - Thiago Bernardes , músico e Educador.

86 - Ton Apolinário, roteirista.

87 - Ulisses da Motta Costa, diretor. 

88 - Viviane Pistache, roteirista, doutoranda, crítica.

89 - Cynthia Rachel Esperança, Professora, Dramaturga, Diretora.

90 - Alessandra Costa, jornalista, assessora de Imprensa - Duetto Comunicação.

91 - Mirtes Agda Santana, Roteirista e Ilustradora.

92 - Rodrigo França, Roteirista, Dramaturgo e Diretor.

93 - Lívia Perez, diretora, produtora e pesquisadora.

94 - Léa Maria Melo Chaib, AIC.

95 - Bruno Victor, diretor e roteirista.

96 - Mario Victor Bergo Crosta, estudante da UNESP.

97 - Maurício Batista Zumerle, estudante da Academia Internacional do Cinema.

98 - Erick Diana Gomes, estudante AIC.

99 - Ana Beatriz Luta, estudante AIC.

100 - Beatriz Silva Moura. Estudante - AIC.

101 - Cristiano Teixeira, jornalista, produtor e diretor.

102 - Morena Miranda Costa - Assistente de produção - Duo2.

103 - Willem Dias, montador.

104 - Carem Abreu, roteirista, diretora, produtora executiva.

105 - Caio Roberto Cortez, advogado, pesquisador.

106 - Leticia Gabriella da Cruz Silva, Mantenedora da Educafro.

107 - Ricardo Silvestre, publicitário, agente de influenciadores.

108 - Edson Ferreira - ator, cineasta e roteirista.

109 - Arthur Sampaio - Estudante - Cinema IESB.

110 - Adriana de Cássia Moreira - Doutoranda FE-USP.

111 - Carla Sales Costa - Produtora.

112 - Marina Segatti - Pesquisadora UCSC.

113 - Bruno Laiso Felix, ator e estudante- AIC.

114 - Patrícia Pacheco - psicóloga SC.

115 - Morena Miranda Costa, estudante e Assistente de Produção - AIC e Duo2.

116 - Ariel Nobre - Projeto Preciso Dizer que Te Amo.

117 - Juliana Denden Arcanjo, comunicóloga, criadora e filmmaker.

118 - Fábio França - Ator, pesquisador, produtor e realizador.

119 - Jaciana Melquiades - Historiadora, Diretora executiva Era uma vez o Mundo.

120 - Daniela Antonelli Aun - Produtora.

121 - Renata Galvão Miklos - produtora executiva.

122 - Daniela Vieira - Doutora em Sociologia.

123 - Thalma de Freitas - Atriz, Compositora.

124 - Thiffany Odara - Pedagoga, Educadora Social.

125 - Renan Nicolau - Estudante de Design e Drag Queen.

126 - Emy Lobo - Fotógrafa e diretora.

127 - APreTA - Associação Preta de Teatro e Artes.

128 - Katia Ludemann, produtora executiva cinema e TV.

129 - Bruno Martins Soares - Psicanalista.

130 - Ana Paula Alves Ribeiro - Antropóloga, Professora e Pesquisadora.

131 - Rafaela Baia - Produtora Executiva Cinema e TV.

132 - Mariana Pedrosa Mitre - Assistente de direção.

133 - Samantha Brasil - Antropóloga, curadora e crítica de cinema.

134 - Erica de Freitas - Produtora e Roteirista. 

135 - Filippo Pitanga - pesquisador, curador e crítico de cinema.

136 - João Lucas Pedrosa - cineasta, pesquisador e professor.

137 - Alberto Sena - Ator, Roteirista e Diretor.

138 - Marcos Moura - Jornalista e Produtor.

139 - Leonel Costa - Diretor, Roteirista, Editor. 

140 - Carmen Luz - Diretora, coreografa, pesquisadora e professora.

141 - Gabriela Souza - Historiadora e Produtora.

142 - Gabriela Rassy - jornalista cultural.

143 - Érica Ribeiro - Atriz, Figurinista.

144 - Charles Gomes - Pesquisador - Fundação Casa de Rui Barbosa. 

145 - Odara Carvalho - Atriz e produtora de lançamento.

146 - Tiago Mata Machado - Realizador.

147 - Gregório Gananian - Diretor.

148 - Dê Kelm - Roteiro e direção.

149 - Danielly O.M.M. - Realizadora.

150 - Fábio de Santana - Ator, Produtor Cultural e membro do Colegiado Gestor do Bando de Teatro Olodum.

151 - Lívia Charret - Diretora de Arte.

152 - Marion Darkcinammon - dançarina e artista.

153 - Inaê Luz - roteirista e pesquisadora.

154 - Amanda Gabriel - preparadora de elenco e atriz.

155 - Karina Buhr - cantora, compositora, atriz.

156 - André Botelho - Produtor de cinema.

157 - Ad Junior - Influenciador Negro.

158 - Raul Perez - diretor e roteirista.

159 - Tatiana Pagamisse - Assistente de Direção e fotógrafa. AIC.

160 - Alice Palmeira. Estudante AIC.

161 - Douglas Belchior, professor, militante da Uneafro Brasil e membro da Coalizão Negra por Direitos.

162 - Renata Vargas Guimarães - gerente de projetos.

163 - Erika Candido - Produtora de Cinema.

164 - Ana Caroline de Jesus - Assistente Social.

165 - Júlia Lelli - Fotógrafa.

166 - Melissa Bávaro - Editora e Colorista.

167 - Murilo Araújo - jornalista, roteirista e youtuber.

168 - Thaís Scabio - cineasta.

169 - Thaís Leister - Montadora. 

179 - Flávia Rosa Borges - produtora de cinema.

180 - Alonso Zerbinato - ator, dramaturgo e produtor de elenco.

181 - Natacha Leonelo - Quadrinista, roteirista, cinematografa, montadora.

182 - Juliana Brum - jornalista, produtora cultural e audiovisual.

183 - Gabriely Maria - Atriz.

184 - Ana Vieira - Sonoplasta.

185 - Marina Merlino - atriz e diretora de teatro.

186 - Giu Castro - atriz, cantora e diretora de teatro.

187 - Lisa Dias Borges, roteirista e dramaturga.

188 - Lui Vizotto - ator, cantor e diretor de teatro.

189 - Gabriel Higa - estudante, fotógrafo e diretor de fotografia.

190 - Bender Arruda - Cineasta e professor.

191 - Paula Braun - atriz e cineasta.

192 - Camila Biondan - atriz.

193 - Tatiane Ursulino - Diretora de Fotografia e Gaffer.

194 - Pedro Chaves - Servidor público e estudante.

195 - Giovanna Gabrielle - atriz.

196 - Mariana Metri - diretora e produtora.

197 - Priscila Magalhães- diretora e produtora.

198 - Diogo L. Silva - roteirista e diretor.

199 - Stefani Raquel - cineasta, ass. de continuidade e de figurino.

200 - Clara Cavour, diretora e fotógrafa.

201 - Ton Rodrigues, Produtor e Estudante do InC - Instituto de Cinema.

202 - Higor Gomes - roteirista, diretor e montador.

203 - Lara Carmo - Realizadora.

204 - Daniela militerno - roteirista.

205 - Deborah Pavani - Produtora e Coordenadora de Pós Produção Audiovisual.

206 - Amanda França - Fotógrafa e Produtora.

207 - Mariana Queen Nwabasili, jornalista e pesquisadora.

208 - Manu Zilveti, Estudante de Cinema e Realizadora.

209 - Bina Zanette, produtora cultural.

210 - Samuel de Castro - roteirista, produtor.

211 - Daiana Andrade, Historiadora e Roteirista.

212 - Carolina Santana Santos - estudante de Cinema e Audiovisual (UNILA).

213 - Francisco Lira - Diretor, Roteirista e Editor.

214 - Simone Mota - Escritora e roteirista.

215 - Victor Hugo Tozarin dos Santos - arquiteto e estudante AIC.

216 - Evelyn Kauane dos Santos - Técnica de Som e Microfonista.

217 - Rodrigo Sousa & Sousa - Professor de Cinema, Laboratorista e Cineasta.

218 - Mari Oliveira - atriz e estudante de cinema.

219 - Stefani Mota - atriz.

220 - Lívia Zapponi - figurinista.

221 - Roberto Flores - Inteligência Comercial.

222 - Juliana Alves Santana - técnica de som e microfonista.

223 - Luan Iaconis Braga - Ator.

224 - Marcela Ribeiro - jornalista e pesquisadora.

225 - Eduarda Schwantz - Roteirista e Diretora.

226- Kélanie Aragão - Assistente de direção.

227 - Dú Pente - Especialista em opinião pública, assessor parlamentar e integrante da Movimentação Juventude Negra Política.

228 - Elza Cohen - Fotógrafa, videógrafa e artista visual (em processo criativo do doc fotográfico Libertas).

229 - Regina Santos Historiadora, bailarina afro, atriz, cantora, batuqueira, educadora e pesquisadora da Cultura Negra.

230 - Gilmara Makeba - artevista, Mestra em Educação atuante na Movimentação Juventude Negra Política.

231 - Rosa Caldeira - diretor de fotografias e gaffer.

232 - Samuel Otaviano - professor.

233 - Fernanda Selva - Figurinista.

234 - Deborah Carvalho - produtora de elenco.

235 - Isabella Nader - produtora.

236 - Juliana Boscardin - produtora.

237 - Fátima Lima - figurinista e aderecista.

238 - Débora Stevaux - jornalista.

239 - Mariléa de Almeida - Historiadora.

240 - Ana Roman - diretora de fotografia.

241 - Felipe Jawa - artista e arquiteto.

242 - Débora Agostini - Jornalista e Fotógrafa - DAFB.

243 - Fernanda Ligabue - Documentarista e Fotógrafa - DAFB.

244 - Bárbara Felice - pesquisadora do cinema brasileiro.

245 - Wilssa Esser - Diretora de Fotografia.

246 - Guilherme Gila - cineasta.

247 - Rafaela Rosa - Assistente de Fotografia - DAFB.

248 - Fernanda Frazão - diretora e fotógrafa (DAFB).

249 - Paula Leal - designer e atuante na Movimentação Juventude Negra Política.

250 - Alice Nin - assistente de câmera.

251 - Alícia Peres - Diretora e Fotógrafa (DAFB).

252 - Asaph Luccas - Diretor, Roteirista e Pesquisador Criativo (Coletivo Gleba do Pêssego).

253 - Camila Cornelsen, Diretora e Diretora de Fotografia (DAFB).

254 - Tomás Camargo- assistente de câmera.

255 - Adriane Assis Fonseca - Jornalista e atuante na Movimentação Juventude Negra Política.

256 - Isabel Wolfenson - Atriz e professora de teatro.

257 - Carol Misorelli - distribuidora de cinema.

258 - Dicezar Leandro - diretor de arte.

259 - Flora Dias - realizadora e diretora de fotografia.

260 - Pedro Henrique de Oliveira Martins - Pesquisador e Professor.

261 - Paula Possani - atriz.

262 - Jovânia Biase de Souza - publicitária.

263 - Luciana Baseggio, DAFB - diretora de fotografia.

264 - Sara Bittencourt Marcucci da Silveira - Musicista.

265 - Cecilia Ungaretti - arquiteta.

266 - Nayana Ferreira - Produtora.

267 - Octávio Tavares - Diretor.

268 - Camila Maluhy - Diretora.

269 - Claudia Priscilla - Diretora e Roteirista.

270 - Antonio Teicher - roteirista, realizador, montador.

271 - Sidarta Riani Goulart - artista.

272 - Lilian Solá Santiago - Documentarista, Pesquisadora e Professora.

273 - Marieta Scatimburgo - Diretora de produção.

274 - Raquel Valadares - Documentarista.

275 - Thaynara Rezende, DAFB - Diretora de Fotografia, Diretora, Assistente de Câmera e Montadora.

276 - Lucas Pastina - Funcionário Público.

277 - Rodrigo de Vasconcellos, roteirista.

278 - Gil Baroni, diretor e roteirista.

279 - Julia Hettenhausen - Diretora de Fotografia e Montadora.

280 - Adriano Monteiro - Diretor, Roteirista e Pesquisador.

281 - Leonardo Nascimento, jornalista e antropólogo.

282 - Mariah Schwartz, roteirista.

283 - Luz Ribeiro, atriz, slammer e poeta.

284 - Eloisa Soares, assistente de câmera DAFB.

285 - Juliana Borghi - GMA DAFB.

286 - Higor Mourão, Cineasta, Realizador, Assistente de Continuidade.

289 - Erick Ligneul - roteirista e jornalista.

290 - Luana Arah - Atriz, Roteirista e Diretora.

291 - Ariela Bueno - Fotógrafa.

292 - Cizenando Cipriano, Jornalista e escritor.

293 - Ivan Gomes Barbosa, Relações Públicas, gestor de patrocínios culturais e gestor cultural.

294 - Sara Soares, Musicista, Compositora, Arranjadora, Roteirista, Produtora e Diretora.

295 - Tatiane Góis Leitão, educadora Social e Roteirista.

296 - Angélica Muniz Valente, diretora e produtora audiovisual.

297 - Iana Cossoy Paro, roteirista e professora, membra do Coletivo Vermelha.

298 - Manoela Ziggiatti, montadora e diretora, membra do Coletivo Vermelha.

299 - Fernanda Correa da Mota, artista da dança.

300 - Lillah Halla, diretora roteirista, membra do Coletivo Vermelha.

301 - Bia Marques, fotógrafa e membra do coletivo DAFB.

302 - Almir Almas - Diretor, Professor e Pesquisador.

303 - Bárbara Cezano - Artista, pesquisadora, produtora, professora e membra do Negada Produções.

304 - Ederson Kelvyn, Estudante, Unisantos.

305 - Flora Lyra da Silva Bulcão, artista, professora e mestranda em Dança pela UFRJ.

306 - Daniela Linda Ciana.

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com