fbpx

Com performance ao vivo tão incendiárias quanto os concertos de Jimi Hendrix, o grupo do Congo já entrou na playlist oficial do ex-presidente americano Barack Obama

Texto: Juca Guimarães I Edição: Nataly Simões I Imagem: Divulgação

O cantor de rock congolês Jupiter Bokondji e a sua lendária banda Okwess gravaram a música “Bolingo Ça Va Saravá”, uma parceria com o cantor carioca Rogê e produção do Mario Caldato e Francois Gouverneur. A música faz parte do EP Bolingo, com outras quatro faixas, lançado no início de dezembro.

O conjunto Jupiter & Okwess começou a carreira em 1990. O estouro do grupo aconteceu em 2017 com o lançamento do segundo álbum Kin Sonic, classificado como o 9º álbum do ano pelo jornal The New York Times. O disco entrou até na playlist do ex-presidente americano Barack Obama.

O rock do grupo é fortemente influenciado pela cultura transcendental do Congo, acrescido de experimentações criativas na mistura de guitarras, baixo, bateria com percussão e maracas.

Com Rogê, o grupo fez uma aproximação com o samba e outros ritmos de raízes afro-brasileiras. “Eu gosto das misturas. Acho saudável. Essa mistura é muito rica. O som do Jupiter & Okwess é universal. Quanto mais raiz você é, mais universal se torna. Ao vivo eles têm uma força visceral incrível”, diz o brasileiro, que conheceu a banda em um show na cidade de Los Angeles (EUA).

“Foi um dos maiores shows que vi aqui. É um ritual, eles têm uma identidade própria. É maravilhoso”, acrescenta o músico, comparando a energia da banda no palco aos clássicos concertos do lendário guitarrista Jimi Hendrix.

 O EP que acaba de ser lançado tem participação dos metais da banda Preservation Hall Jazz Band na faixa “Abalagele Gale”, gravada em New Orleans. A cantora americana Maiya Sykes participa da faixa “Bakunda Ulu”, que busca uma integração entre a África e a soul music.

Jupiter diz que o amor é o fio condutor de toda a música porque os bens e o dinheiro não são capazes de ensinar nada sobre a vida, mas o amor sim. O EP do grupo de rock congolês foi gravado por Gravado Mario Caldato Jr, produtor de nomes como Beastie Boys, Seu Jorge e Marcelo D2. Para 2021, o grupo congolês prepara um novo álbum.

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com