Após duas décadas afastado da competição, país tem metas ambiciosas para o torneio, que começa no dia 14 de Junho, quinta-feira

Texto / Lívia Martins
Imagem / Getty Images

Banhado pelo Mar Mediterrâneo e o Oceano Atlântico, o Marrocos é parte importante do desenvolvimento da história da humanidade. Nos dias de hoje, o sol rigoroso que incide no Deserto do Saara, na região do Magrebe e em cidades famosas como Tânger, Fez e Casablanca atrai turistas interessados em belas praias. É com essa introdução que se pode dizer, bem-vindos a Marrocos.

Literalmente, tirando a poeira

A seleção de Marrocos carimba sua participação na Copa do Mundo apenas pela quinta vez em sua história. Os marroquinos desta geração também vão quebrar o jejum de vinte anos longe do torneio mundial. Em 1998, data da última participação, o time foi eliminado ainda na fase de grupos.

Para chegar até a Rússia, a seleção disputou ponto a ponto com a poderosa Costa do Marfim nas eliminatórias africanas. A última partida foi justamente contra os marfinenses. Na ocasião, Marrocos tinha um ponto a mais na classificação geral e poderia até empatar no jogo. Porém, a vontade foi tanta que eles deixaram o regulamento de lado e venceram a Costa do Marfim por 2 x 0, com gols de Dirar (Fenerbahçe-Turquia) e Benatia ( Juventus-Itália). O objetivo da seleção na Copa de 2018 é ultrapassar as oitavas-de-final, fase máxima já conquistada pelo país – o feito ocorreu em 1986.

Diáspora marroquina na seleção

Dos 23 jogadores convocados pelo treinador Hervé Renard para a Copa da Rússia, apenas seis nasceram em Marrocos (Tagnaouti, Dirar, Mendyl, Banoun, Bouhaddouz e El Kaabi). Oito atletas nasceram na França (Benatia, Da Costa, Saïss, Belhanda, Fayr Aït Bennasser, Harit e Boutaïb), cinco são da Holanda (Boussoufa, El Ahmadi, Nordin Amrabat, Ziyech e Sofyan Amrabat), dois têm ascendência espanhola (Munir e Hakimi), um é nascido na Bélgica (Carcela-González) e outro no Canadá (Bounou).

Os destaques dos times são os craques Ziyech (Ajax-Holanda), Hakimi (Real Madrid-Espanha) e Benatia (Juventus-Itália). Marrocos está no grupo B e estreia na Copa do Mundo 2018 em 15 de junho contra o Irã. Além do país do oriente, Portugal e Espanha também estão na chave. Hza Saeidaan (boa sorte), irmãos!

Benatia, craque da Juventus (ITA) (Imagem: Getty Images)

Convocados

Goleiros: Munir (Numancia-Espanha), Bono (Girona-Espanha) e Ahmed Reda Tagnaouti (IRT Tánger-Marrocos).

Defensores: Mehdi Benatia (Juventus-Itália), Romain Saiss (Wolverhampton-Inglaterra), Manuel Da Costa (Basaksehir-Turquia, Badr Benoun (Raja Casablanca-Marrocos), Nabil Dirar (Fenerbahçe-Turquia), Achraf Hakimi (Real Madrid-Espanha) e Hamza Mendyl (Lille-França).

Meio-campistas: Mbark Boussoufa (Al Jazira-Emirados Árabes), Karim El Ahmadi (Feyenoord-Holanda), Youssef Ait Bennasser (Caen-França), Sofian Amrabat (Feyenoord-Holanda), Younes Belhanda (Galatasaray-Turquia), Fayçal Fajr (Getafe-Espanha) e Amine Harit (Schalke 04-Alemanha).

Atacantes: Khalid Boutaib (Malatyaspor-Turquia), Aziz Bouhaddouz (Saint Pauli-Alemanha), Ayoub El Kaabi (RSB Berkane-Marrocos), Nordin Amrabat (Leganés-Espanha), Hakim Ziyech (Ajax-Holanda) e Mehdi Carcela (Standard Liège-Bélgica).

 

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
contato(@)almapreta.com

Mais Lidos