País volta a disputar a Copa do Mundo após quase três décadas afastado do torneio e está no mesmo grupo da Rússia, anfitriã do Mundial. Mohamed Salah, o destaque da equipe, é uma das principais atrações do campeonato

Texto / Lívia Martins
Imagem / Federação Egípcia de Futebol

Antes de desembarcar em nosso próximo destino, guardem uma informação muito importante: o Antigo Egito também foi formado por pessoas negras. Apesar da história escolar impor outra visão, aqui nós não trabalhamos com a versão hollywoodiana e eurocêntrica. Dito isso, sejam muito bem-vindos ao Egito.

Os faraós

Ali, nas margens do Rio Nilo, surgiu aos poucos uma das civilizações mais importantes da história da sociedade mundial. Após séculos, os faraós do século XXI também querem deixar sua marca no mundo, em um ambiente gelado, bem diferente do clima do deserto do Saara.

A seleção do Egito participa pela terceira vez em sua história de uma edição de Copa do Mundo. A última vez que o país disputou um Mundial foi em 1990 e saiu da disputa ainda na fase de grupos.

Apesar do hiato de quase três décadas entre a participação em 1990 e a jornada atual, o Egito é reconhecido como uma força continental. O país é heptacampeão da Copa Africana de Nações, o que o coloca como maior vencedor do torneio.

O jogo que carimbou o passaporte dos egípcios para a Rússia foi contra a seleção do Congo, com dois gols da estrela do time, o craque Mohamed Salah (Liverpool - Inglaterra).

Mohamed Salah (Imagem: Facebook / Mohamed Salah)

O jogador vem ganhando espaço na mídia e na lista de preferidos dos apaixonados por futebol com a sua habilidosa canhota. Salah ganhou grande notoriedade, principalmente, em jogos da Liga dos Campeões da Europa. Na decisão, porém, disputada contra o Real Madrid, Salah deixou os torcedores egípcios preocupados, depois de sofrer uma forte entrada de Sérgio Ramos e deixar o campo lesionado, poucas semanas antes da lista final de convocados ser divulgada.

Exames garantiram a presença dele na fase de grupos, mas Salah ainda é dúvida para partida de estreia contra o Uruguai, em 15 de junho.

A convocação dos jogadores ocorreu neste mês e Héctor Cúper chamou 23 jogadores, entre eles o volante Elneny (Arsenal - Inglaterra), outra estrela do time. Além do Egito, o grupo A conta com a anfitriã Rússia, Arábia Saudita e o Uruguai. Hza Saeidaan (boa sorte), irmãos!

Convocados

Goleiros Essam El Hadary (Al Taawon - Arábia Saudita), Mohamed El-Shennawy (Al Ahly - Egito) e Sherif Ekramy (Al Ahly - Egito).

Defensores: Ayman Ashraf ( Al Ahly - Egito), Ahmed Fathi (Al Ahly - Egito), Saad Samir (Al Ahly - Egito) Mahmoud Hamdy (Zamalek - Egito), Mohamed Abdel-Shafy (Al Fateh - Árábia Saudita), Ahmed Hegazi (West Brom - Inglaterra), Ali Gabr (Zamalek - Egito), Ahmed Elmohamady (Aston Villa - Inglaterra) e Omar Gaber (Los Angeles FC - EUA).

Meio-campistas: Tarek Hamed, (Zamalek - Egito), Shikabala (Zamalek - Egito), Abdallah Said (Al Ahli - Emirados Árabes), Sam Morsy (Wigan Athletic - Inglaterra), Mohamed Elneny (Arsenal - Inglaterra), Mahmoud Kahraba (Al Ittihad - Árabia Saudita), Ramadan Sobhi (Stoke City - Inglaterra), Mahmoud Hassan (Kasimpasa - Turquia) e Amr Warda (Atromitos Athens - Grécia).

Atacantes: Marwan Mohsen (Al Ahly - Egito) e Mohamed Salah (Liverpool - Inglaterra). 

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
contato(@)almapreta.com

Mais Lidos