fbpx

Nova variante, diferente da do Reino Unido, foi detectada por cientistas da África do Sul; taxa de infecções tem aumentado e esperança está na vacinação, ainda sem previsão no continente

Texto: Redação | Edição: Nataly Simões | Imagem: Themba Hadebe

Uma nova variante do novo coronavírus foi encontrada na África do Sul e deixou os países do continente africano em alerta pelo risco de sobrecarregar seus sistemas de saúde. As autoridades já estão preocupadas com o aumento no número de casos de Covid-19, observado nos últimos meses.

Desde o início da pandemia, o continente africano registrou mais de 2,5 milhões de casos de Covid-19 e aproximadamente 60 mil mortes. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 47 países africanos contabilizam uma média de 46 mil novos casos por semana desde outubro. A África do Sul nesta semana chegou à marca de 1 milhão de infectados.

Ado Mogammed, diretor de questões de saúde do G8 (grupo dos oito países mais desenvolvidos), afirmou que a nova variante do vírus foi detectada, de fato, no continente e reiterou a importância das medidas de distanciamento social. “A segunda variante está aqui. As pessoas têm de assumir a responsabilidade e cumprir as medidas, mas continuam a ir a casamentos, eventos, igrejas e mesquitas. Apertam as mãos, não aderem ao distanciamento social e não usam máscaras”, disse, em entrevista ao site DW.

A nova variante encontrada no país sul-africano é chamada de 501.V2 por cientistas que rastrearam a genética do vírus SARS-COV-2, causador da Covid-19. A variante foi identificada pela primeira vez na Baia Nelson Mandela, nas proximidades da costa leste do país, e se espalhou rapidamente para outros distritos.

A 501.V2 preocupa as autoridades por estar associada a uma maior carga de transmissão. Além disso, a variante é diferente de outras que já circulam no continente africano em razão das mutações de uma proteína chamada Spike, que o vírus usa para contaminar células humanas. Segundo as autoridades sanitárias, mais de 80% dos novos casos reportados no país sul-africano são da nova variante do vírus.

A África do Sul é responsável por cerca de um terço dos casos do novo coronavírus na África. Em julho, o país registrava aproximadamente 14 mil novos casos por dia. Nos últimos dias, o número de novas infecções diárias voltou a subir para quase 8 mil, conforme estimativa da Universidade John Hopkins.

Espera pela vacina

Ainda são incertas as informações se as vacinas que já são aplicadas nos Estados Unidos e em diversos países da Europa e de outras regiões do mundo podem proteger contra a nova variante encontrada na África do Sul. Segundo a CNN, as empresas AstraZeneca, BioNTech e Moderna disseram nesta semana que esperam que suas vacinas funcionem contra a variante do Reino Unido, por exemplo. Essa é diferente da encontrada no país sul-africano.

Medidas implementadas pelos países africanos desde o início da pandemia reduziram os impactos da Covid-19 no continente, mas a economia de países como a África do Sul já foi comprometida em 2020. A esperança está na imunização, embora a própria OMS ainda não sabe informar quando o continente africano iniciará os processos de vacinação devido à falta de infraestrutura.

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com