Evento apresentará documentário independente e promoverá debates sobre diversidade de gênero e diversidade sexual com foco em mulheres transexuais

Texto:
Thalyta Martina e Fabrício Moraes
Imagem: Divulgação

O Centro de Cidadania LGBT Luana Barbosa dos Reis realiza, na próxima quinta-feira, 27 de abril de 2017, como parte do encerramento das atividades do primeiro quadrimestre do ano, o Festival Cultural LGBT #MakeLove, reunindo produções artísticas e culturais de LGBTs da Zona Norte de São Paulo.

A programação começa às 14:00 com apresentação do serviço, seguido pela exibição do curta documentário Amores Transitórios, desenvolvido pelo Coletivo Na Rego. O documentário trata de questões ligadas à diversidade de gênero e diversidade sexual, tendo como foco mulheres transexuais que relatam suas experiências afetivas, na cidade de São Paulo. Após a exibição do documentário, acontece uma roda de debate sobre o curta e a proposta é falar sobre o amor lgbt como forma política, como gerador de dificuldades e angústias, mas também como um meio de se encontrar.

Às 15:20 acontece o Desfile LGBT Fashion Day, com Kamila Miller, que além de reunir modelos travestis e transexuais promete ser um desfile de empoderamento e protesto frente aos alarmantes índices que colocam o Brasil como o país que mais mata travestis e transexuais no mundo de acordo com a Organização das Nações Unidas.

Ainda compõe a programação das 16:00 às 17:00 horas uma Oficina de Stiletto (aula de dança que combina hip hop, jazz e salto alto), com a diva Danna Lisboa. Ana Lúcia do Cantinho Rosa apresenta todo seu talento no especial Voz e Violão a partir das 17:00hrs, em seguida acontece o coquetel de encerramento, acompanhado de pocket show de Valentina e o Special Drag Show Abusadas, com Leonora & Desdêmona fechando o Make Love.

Durante todo o evento haverá plantão de atendimento jurídico, psicológico e de serviço social para orientações sobre Cidadania LGBT, Nome Social, Processo Transexualizador, acolhimento de denúncias de violações de direitos e LGBTfobia, além da realização de teste rápido de fluido oral para HIV e orientações sobre sexo seguro e prevenção às IST’s.

Subordinados à Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, por meio da Coordenação de Políticas para LGBT, os Centros de Cidadania LGBT em funcionamento são o principal acesso aos serviços de cidadania para a população LGBT em São Paulo e compõem a rede municipal de proteção aos direitos das pessoas LGBTs da América Latina e beneficia a população LGBT(lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) e familiares, e tem como objetivo ofertar atendimento especializado a pessoas LGBT vítimas de discriminação ou violência em decorrência de sua identidade de gênero, orientação sexual e/ou em situação de vulnerabilidade social na Zona Norte da cidade de São Paulo, por meio da colaboração aos Centros de Cidadania LGBT, Programa Transcidadania e Unidades Móveis de Cidadania LGBT nessas regiões bem como a realização de ações de promoção da cidadania e dos direitos humanos.

Luana Barbosa dos Reis morreu em 13 de abril de 2016, dias depois de ser espancada por três policiais militares de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, enquanto levava seu filho para um curso no carona de uma moto. Luana, que era mulher negra, periférica e lésbica, se recusou a ser revistada por policiais homens. Numa clara ação racista e lesbofobica, ela foi violentamente agredida, levada para delegacia, onde foi feito um Boletim de Ocorrência contra ela por agressão a policiais, em seguida foi levada para a Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas (HC-UE), e morreu dias depois por isquemia cerebral aguda causada por traumatismo crânio-encefálico. A Justiça Militar do Estado de São Paulo (JMSP) arquivou a investigação dos três policiais envolvidos na ação por considerar que não há indícios de crime militar. Luana virou um símbolo de resistência e dá nome ao Centro de Cidadania LGBT da Zona Norte de São Paulo que tem centrado em todo seu plano de trabalho denunciar e combater  toda forma de racismo, machismo e lgbtfobia.

Serviço: Festival Cultural LGBT #MakeLove
Horário: das 14h às 19h
Onde: Centro de Cidadania LGBT Luana Barbosa dos Reis (Rua Plínio Pasqui, 186 – Vila D. Pedro II, São Paulo)
Mais informações: cclgbtluanabarbosa@gmail.com. Ou pelo telefone: (11) 2949-2781.

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Onde Estamos

Endereços e Contatos
18-80. Jd Nasralla - Cep: 17012-140
Bauru - São Paulo
contato(@)almapreta.com

Mais Lidos

Cron Job Iniciado