Colaborações podem ser feitas até 21 de Novembro, e a meta a ser atingida é de R$ 60 mil reais. 

Texto / Pedro Borges
Imagem / Fernando Martins

A Campanha pela Liberdade de Rafael Braga organiza financiamento coletivo para a compra de uma casa para o jovem e a sua família. As doações podem ser feitas até 21 de Novembro, e a meta a ser atingida é de R$ 60 mil reais.

A ideia é dar uma melhor infraestrutura para a família de Rafael Braga, que sofre de uma série de injustiças desde a sua primeira prisão do jovem, em 2013, de acordo com os integrantes do grupo.

A Campanha pela Liberdade de Rafael Braga se encontra toda terça-feira na Cinelândia no Rio de Janeiro.

O caso

A vida de Rafael Brava teve uma reviravolta em Setembro, no dia 13, quando o ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça), Rogerio Schietti, emitiu liminar que permite o jovem receber tratamento da tuberculose, que adquiriu na prisão, em sua casa. A defesa de Rafael Braga luta para que ele continue em prisão domiciliar mesmo depois de receber todos os cuidados médicos.

Rafael Braga se tornou em um símbolo das injustiças raciais no Brasil, de acordo com os ativistas do movimento negro.

A primeira ação do Estado contra ele aconteceu durante as manifestações de junho de 2013. Na época, milhares de pessoas ocuparam as ruas das grandes cidades brasileiras, primeiro em protesto contra o aumento das passagens de ônibus e a repressão policial, e depois contra uma série de demandas sociais. Nesse contexto, Rafael foi o único preso, acusado de carregar material explosivo, quando em sua mochila foram encontrados dois frascos lacrados de produtos de limpeza.

Em 12 de Janeiro de 2016, Rafael cumpria sua pena em regime aberto, quando caminhava com uma tornozeleira eletrônica da casa de sua mãe para uma padaria na Vila Cruzeiro, zona norte do Rio de Janeiro, e foi abordado por policiais. Eles alegaram ter encontrado com Rafael 0,6 g de maconha, 9,3 g de cocaína e um rojão. O jovem nega ser o responsável pelas drogas e afirma ter sido ameaçado pelos policiais, que queriam que Rafael anunciasse quem seriam os traficantes da região. De acordo com o jovem negro, os policiais teriam dito que “jogariam arma e droga na conta dele”.

No dia 20 de Abril de 2017, quinta-feira, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro emitiu sentença que responsabiliza Rafael Braga por tráfico e associação para o tráfico de drogas. O juiz Ricardo Coronha Pinheiro condenou o ex-catador de latas a 11 anos e três meses de prisão e multa de R$ 1.687.

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Onde Estamos

Endereços e Contatos
18-80. Jd Nasralla - Cep: 17012-140
Bauru - São Paulo
contato(@)almapreta.com

Mais Lidos