Mulheres da grande São Paulo, da região do ABC, organizam uma campanha de financiamento coletivo online para a formação de um clipe. Tata Quilombo pede a ajuda dos amantes do Hip Hop para contribuir com o rap feminino.

Texto / Tata Quilombo
Imagem / Divulgação

Ser mulher no mundo patriarcal é muita treta. Ser mulher preta e de quebrada é muito mais. Para nós restou a rebeldia mola propulsora para o enfrentamento das mazelas cotidianas. Se o mundo nos é hostil, a cena do rap em SP não é diferente.

Não à toa, vemos o nascimento na última década de várias organizações, coletivos e produtoras que visam construir espaços onde as produções artístico culturais e vozes das mulheres que estão no corre underground da cena independente possam ecoar. Se dos becos e vielas ecoam os gritos das mães pretas do luto à luta, não somos nós, suas filhas e netas, que iremos recuar. Pois se não nos abrem as portas, metemos o pé!

É com esse espirito rebelde herdado por Dandara e Zumbi que se forma a banca "As Mina do Fundão do ABC". Banca formada por um time de peso, sendo elas: Lanna Rodrigues, Katiara Oliveira, Thaís Aguiar, Fabiana Ribeiro, Márcia Rimação, Lenice Moura e Tata Quilombo. Sete mulheres. Sete guerreiras. Que através do rap refletem suas existências, vivências e resistência.

Para brindar esse encontro as Minas do Fundão lançarão o som intitulado "resistência", trampo gravado e masterizado pelo mago dos beats LC. E pra lançar esse trampo no mais alto nível, com direito a vídeo clipe produzido por Gleice Neves e sua equipe, pedimos a colaboração dos amantes do hip hip para o financiamento do vídeo. Colabore através da nossa vakinha! E se não puder contribuir com alguns trocados, pois sabemos q não tá fácil pra ninguém né, ajudem divulgando.

Apóie essa campanha! Apóie a cena da música independente! As Minas do Fundão do ABC agradece!

Para doar qualquer valor clique aqui.

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Onde Estamos

Endereços e Contatos
18-80. Jd Nasralla - Cep: 17012-140
Bauru - São Paulo
contato(@)almapreta.com

Mais Lidos